Gustl Rosenkranz
Bolo saudável? Que nada! Bolo é pecado e pecado tem que ser é gostoso!
Início » Artigos » Bolo saudável? Que nada! Bolo é pecado e pecado tem que ser é gostoso!

Bolo saudável? Que nada! Bolo é pecado e pecado tem que ser é gostoso!

Vamos deixar as coisas serem coisas e vamos deixar bolo ser bolo, cheio de farinha, ovos, açúcar, manteiga, leite condensado e tudo que faz parte. Quem quiser comer saudável, que tome uma sopa de legumes! Bolo saudável soa para mim como „linguiça vegana”, o que não faz qualquer sentido.


Bolo saudável?

Vi por acaso um artigo com uma receita de “bolo saudável”. Achei estranho,  resolvi dar uma pesquisada e vi que internet está cheia dessas receitas. Bolo saudável? Como assim?

Para começar, li algumas receitas e nem as achei tão saudáveis como os títulos sugeriam. Usar açúcar mascavo e óleo de coco não basta para tornar um bolo saudável.

Independentemente disso, que história é essa? Desde quando bolo tem que ser saudável?

Bolo saudável

Bolo é um presente que a gente dá a alma

Para mim, bolo é, como o chocolate, algo para adoçar a vida em momentos difíceis. Ou quando simplesmente se precisa recompensar a si mesmo com uma bomba de açúcar, gordura e calorias. Bolo é um presente que a gente dá a alma e presente é coisa para ser curtida a fundo, com tudo que se tem direito.

Por isso, na hora que você comer um pedaço de bolo, esqueça essa preocupação com o que tem dentro, mesmo porque comer preocupado também não deve fazer bem à saúde.

Eu como pouco bolo e coisas doces em geral, mas, quando como, lá quero saber de bolo saudável? E sinto um arrepio só de imaginar minha infância com minhas festinhas de aniversário com “bolo saudável”, “brigadeiro saudável”, “sorvete saudável”… Credo! Não quero nem pensar. Naquela época ninguém em minha família se preocupava com isso. E a grande maioria ainda vive.

Bolo saudável

Modismo e exagero que acompanham o mundo moderno

Acho que isso aí tem a ver com todo um modismo e um exagero que acompanham o mundo moderno: até coisas que o ser humano já come há milhares de anos e que devem ser comidas até em outros planetas tornaram-se, meio que de repetente, problemáticas e nocivas para a saúde, sem que muitas vezes nem se entenda direito o porquê. É como aquela piada que diz que antigamente as pessoas comiam carboidratos à vontade e não engordavam porque ainda não sabiam que carboidratos engordam.

Nem mato, nem cadáveres

Vejo toda uma discussão exagerada sobre o assunto. Pior ainda: vejo gente atacando gente por comer isso ou aquilo. Essa gente vive policiando o tempo todo o que elas mesmas e o que outras pessoas comem. Isso termina em confusão. Uma vez, presenciei uma briga feiíssima entre um vegetariano e um “carnívoro”: um acusou o outro de comer mato e o outro respondeu que ele comia cadáveres. Sinceramente, respeito pelo próximo e por suas escolhas isso aí não foi.

É certo que temos motivos mais que suficientes para sermos cuidadosos com o que comemos e protestarmos contra um setor de alimentos que parece que perdeu qualquer senso de ética e responsabilidade. Temos que ter cuidado com pesticidas, com o açúcar (muitas vezes escondido onde menos se espera!), com a gordura, com os maus-tratos de animais, trabalho escravo ou semiescravo de quem produz o que comemos, muitas vezes até trabalho infantil, etc., etc., etc.

Bolo saudável

Temos muitos motivos para nos preocupar com o que comemos, mas não precisamos exagerar

Sim, temos muitos motivos para nos preocupar com o que comemos, mas, se repararmos bem, o problema nem está tanto naquilo, mas sim na qualidade e na quantidade daquilo que comemos. Um pimentão cheio de pesticidas não é melhor que carne de bicho maltratado cheia de antibióticos. Devemos nos conscientizar disso e procurar nos alimentar bem, claro. Mas, então, por favor, sem neuras e frescuras, sem todo esse delírio, sem todo esse exagero.

Vamos deixar as coisas serem coisas e vamos deixar bolo ser bolo, cheio de farinha, ovos, açúcar, manteiga, leite condensado e tudo que faz parte. Quem quiser comer saudável, que tome uma sopa de legumes! Bolo saudável soa para mim como „linguiça vegana”, o que não faz qualquer sentido.

Comer bolo é pecado, que cometemos por prazer, e pecado não precisa ser saudável, tem que ser é gostoso. Saudável é pecar com moderação 😉

Primeira publicação deste artigo: Revista THINK.

Imagem de capa: gmstockstudio/Shutterstock

Gustl Rosenkranz

Escrevo sem luvas porque tocar é importante.

Direitos autorais e uso de material deste site

1 comentário

  • “Antigamente as pessoas comiam carboidratos à vontade e não engordavam porque ainda não sabiam que carboidratos engordam” hahaha adorei!
    Em uma oportunidade, postei uma receita de bolo com bastante chocolate e manteiga. No inbox, pediram se poderiam trocar os ingredientes por outros e se isso iria interferir no sabor. Tive que rir… mania estranha de ficarem tentando estragar tudo que já foi comprovado que é bom. Manteiga na receita tem gosto único, assim como um monte de chocolate. Quer emagrecer? Não come bolo. Não quer comer carne? Deixa de achar que “carne vegetariana” tem o mesmo sabor… a moral de ser vegetariano não era parar de comer carne mesmo?
    Concordo que bolo é bolo! Delícia poder comer e sentir a alma encontrando paz, não é?
    Ótimo post!

Gustl Rosenkranz